A Floresta Laurissilva

Todos nós já ouvimos, com certeza, falar sobre a floresta Laurissilva, mas será que sabemos realmente do que se trata?

Bem, para começar temos que falar sobre a palavra em si. Laurissilva é a junção de duas palavras latinas: Laurus (que quer dizer loureiro) + Silva (que significa floresta) ou seja floresta dos loureiros. Esta floresta é mesmo muito especial, tendo ganho já vários reconhecimentos, pois faz parte da Rede Europeia denominada Natura 2000, é Património da Humanidade de uma organização chamada UNESCO e está integrada no Parque Natural da Madeira como área protegida.

Mas porquê que é assim tão especial? Existem muitas razões, vamos descobrir.

A floresta Laurissilva como a conhecemos existe apenas nos arquipélagos da Madeira, das Canárias, dos Açores e de Cabo Verde. Este conjunto de Ilhas forma um grupo chamado Macaronésia. É na Ilha da Madeira que existe a maior e melhor mancha desta floresta!

Ao contrário do que é dito, a Madeira não tem um clima subtropical! A nossa Ilha disfruta de dois tipos de clima: o mediterrânico nas cotas inferiores e o temperado nas cotas superiores. É nas áreas de clima temperado que habita a Laurissilva do Til, a mais comum espécie da Laurissilva.

Com certeza já reparaste que dependendo da altitude e da zona, a floresta consegue ser muito diferente pois a Laurissilva não é apenas uma floresta, mas sim várias!

A floresta decompõem-se assim da seguinte forma:

  • Laurissilva do Barbusano também conhecida por Laurissilva seca, é a floresta que ocorre nas altitudes mais baixas, tanto na costa Sul (300 a 600m) como na costa Norte (50 a 300m). Na costa sul, devido à grande densidade populacional, está reduzida e fragmentada, sobrevivendo em zonas inacessíveis. Já na costa norte é muito mais abundante dominada pelo Barbusano e o Loureiro, existindo também outras espécies.
  • Laurissilva do Til é sobre esta floresta que impera no nosso Núcleo de Educação Ambiental do Ribeiro Frio. Podemos encontrar na costa sul à cota de 800 – 1450m e na costa norte a partir dos 300 metros de altitude, até os 1400 metros.
  • Laurissilva do Vinhático tal como a Laurissilva do Sabugueiro são bosques ripícolas, ou seja, crescem nas ribeiras e linhas de água. É muito frequente ver quando efetuamos a atividade canyoning. A Laurissilva do Vinhático encontra-se nas costas intermédias e baixas na costa norte e sul;
  • Laurissilva do Sabugueiro é um bosque ripícola que ocorre nas cotas mais altas.

Captação de água

Por ser uma Ilha ainda jovem, a Madeira tem um relevo bastante acidentado, caraterizado por vales muito encaixados, montanhas e arribas. O ponto mais alto é o Pico Ruivo com 1862 metros, seguido pelo Pico das Torres com 1851m e o Pico do Arieiro com 1818m de altitude. Estes três picos, localizados no concelho de Santana, formam uma parte do maciço montanhoso central que tem caraterísticas muito especiais. O facto de a costa norte ter montanhas tão altas, cria-se um fenómeno chamado precipitação ou chuva orográfica. Este fenómeno acontece quando uma massa de ar encontra uma barreira, como por exemplo uma montanha, e é obrigada a subir. Ao subir em altitude a temperatura desce, o vapor arrefece e ocorre a condensação (quando um gás se torna num líquido). Sendo agora um líquido, que é muito mais pesado que o vapor, esta água cai e chove. Não é por acaso que a costa norte é muito mais verde que a costa sul. 

Para além de muitas árvores, a Madeira tem muita água! É graças à floresta Laurissilva e ao Urzal de Altitude (lugares como o Paul da Serra e o Pico do Areeiro), que temos tanta água doce. As plantas que crescem nestes habitats são especialistas na captação de água, o que é bom para a floresta e para nós.

Se reparares bem, não é por acaso que muitas das nossas Levadas começam nestas zonas.

A cor verde

A floresta Laurissilva é uma floresta perenifólia ou perene. Estes nomes difíceis de decorar significam que nunca perdem as suas folhas de uma vez, ao contrário das florestas caducifólias que perdem as suas folhas no inverno, como é exemplo o bosque de Castanheiros no Curral das Freiras. Ou seja, podem visitar a Laurissilva em qualquer altura do ano que estará sempre verdinha.

As folhas das árvores da Laurissilva são quase sempre verdes escuras, grandes e brilhantes. Isto acontece porque as zonas em que a floresta Laurissilva cresce são geralmente sombrias. As plantas precisam da luz solar para fazer a fotossíntese, então em zonas onde a luz é menos intensa as plantas têm de adaptar-se, originando assim estas folhas bonitas. Se fores ver as plantas que crescem à beira mar, como o Massaroco (Echium nervosum) ou a Figueira-do-inferno (Euphorbia piscatoria) (ambas estas têm um parente na Laurissilva Echium candicans e Euphorbia mellifera), vão reparar que as folhas são mais fininhas e clarinhas.

A floresta Laurissilva tem muitas plantas endémicas, ou seja, que existem apenas cá na Ilha da Madeira! Mas, para além de plantas, existem também animais (fauna), num leque tão variado de espécies, desde aves a aranhas que só vivem aqui!

Devido a milhões de anos de isolamento e as condições favoráveis encontradas na Ilha, a flora e fauna teve a oportunidade de adaptar-se à Ilha. Com o tempo as espécies foram-se adaptando ao meio e por sua vez mudando o que resultou no surgimento de muitas espécies endémicas.